Justiça condena Danilo Gentili

O humorista Danilo Gentili foi condenado pela Justiça de São Paulo a pagar uma indenização de R$ 41,8 mil ao sindicato dos enfermeiros, além de publicar compulsoriamente, um pedido de desculpas em suas redes sociais.

Em dezembro de 2020, o humorista publicou os seguintes dizeres em sua conta no Twitter:

“Vocês sabem se existe um asilo especializado onde as enfermeiras batem umas pros véios? Essa tem sido uma preocupação minha quando penso no futuro. Existe esse tipo de serviço?”.

O juiz André Salvador Bezerra, da 42ª Vara Cível de São Paulo, entendeu que o Danilo “fez uso de sua condição de pessoa pública para ofender toda uma categoria profissional”.

Segundo o juiz, com a publicação, Gentili legitimou “seculares formas de opressão contra as mulheres e inseriu a profissão de enfermeira como uma função a ser ocupada por mulheres para servir sexualmente a ele, o homem branco”.

Com a decisão judicial, Danilo Gentili terá de pedir desculpas sob pena de lhe ser aplicada uma multa diária de R$ 1.000 reais durante 200 dias. Ainda cabe recurso contra a decisão do magistrado.

Danilo Gentili afirmou à Justiça que não cometeu ato ilícito, além de afirmar que não violou nenhum direito.

O humorista declarou que apenas exerceu seu direito constitucional à liberdade artística e que a piada fazia referência a uma cena da comédia italiana “Feios, Sujos e Malvados”, de Ettore Scola.

“Fazer piada de forma alguma permite concluir que Gentili estivesse incentivando o assédio moral e sexual contra a categoria dos enfermeiros ou que seja o responsável pela violência doméstica que existe contra as mulheres desse país”, afirmou a sua defesa no processo. O humorista é representado neste caso pelo escritório Simão e Bunazar Advogados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *