Treinamento com simulador para operadores de trens no Metrô garante segurança de milhões de passageiros diariamente

O Jornal do Monotrilho cumprindo seu compromisso de informar a população, e contando com a parceria do Metrô, esteve acompanhando o simulador de treinamento para operadores de trens do Metrô de São Paulo, na estação Corinthians Itaquera.
O treinamento de formação para operador de trem tem duração de cerca de 100 dias, onde ele é preparado para lidar com diversas situações de falhas, assim como prestar atendimento aos passageiros.
Este treinamento é realizado por módulos que incluem: comunicação com os passageiros em situações de anormalidade, alinhamento de rotas, atuações no trem em caso de falhas, sinalização de via, Prática Operacional, etc
Para auxiliar neste treinamento, o Metrô utiliza os recursos disponibilizados pelos simuladores.
O treinamento com o simulador é destinado para formação, adaptação e reciclagem dos operadores dos trens, já que o Metrô conta com diversos tipos de trens com suas particularidades na operação, bem como cada linha do Metrô, construída em décadas diferentes, também tem suas particularidades na operação com os trens e geral.
Lucas , instrutor do simulador relata a importância do treinamento com a utilização do equipamento simulador, tanto para novos operadores, quanto para os já experientes na função, que realizam o fundamental processo de reciclagem.
“Trabalhamos com três tipos de treinamento, formação, para novos operadores, normalmente vindos da própria companhia. Adaptação, que é quando um operador vem de outra linha para essa ( vermelha) e faz a adaptação já que cada linha conta com sua particularidade de operação. E também realizamos a reciclagem periódica de todos os operadores “, disse Lucas.
O Metrô dispõe destes equipamentos há mais de 10 anos e eles estão alocados atualmente nas linhas 1 e 3. São utilizados dois simuladores para as três linhas , porque as linhas 1 Azul e 2 Verde, são operadas da mesma maneira com os mesmos equipamentos e trens , diferentes na linha 3 Vermelha.
Eli, supervisor de treinamento com simulador e com mais de 30 anos trabalhando no Metrô salienta a qualidade e a importância  do trabalho de treinamento para atuar nas ocasiões de falhas e emergências.
“A capacitação dos operadores é a melhor possível. Com o simulador ganha-se tempo no treinamento e faz com que os operadores passem por situações idênticas as reais, enfrentadas diariamente. Estou como supervisor e sou responsável pelo simulador e pelo tráfego da linha 3 vermelha. Contamos com um grupo de treinadores muito competentes, que fazem o trabalho com muita competência. Nos simuladores conseguimos criar situações como: dia/noite, chuva, baixa visibilidade, plataformas cheias e vazias permitindo uma a experiência de situações reais durante a operação”, concluiu Elias.
 O Metrô de São Paulo trabalha incansavelmente para atender a população com eficácia e segurança e o Jornal do Monotrilho está junto com o Metrô para informar a população e garantir o bem estar de todos no seu deslocamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *