Relação de Adoniran Barbosa com a cidade é tema de exposição no Metrô

O projeto “Viajando por São Paulo com Adoniran Barbosa”, do Metrô de São Paulo, ganha novidades em janeiro em comemoração aos 465 anos da cidade, e une todas as exposições sobre a relação do famoso sambista com as regiões de São Paulo.

Entre os dias 10 e 31 de janeiro, a estação Republica, da linha 3-Vermelha, recebe 52 imagens que passaram por diversas estações desde agosto, mostrando como Adoniran fez sua história não só em Jaçanã, mas toda a Zona Oeste, Norte, Sul, Leste e Centro. As imagens do acervo, que leva o nome do músico, também trazem informações sobre a vida e obra do homem que é um dos ícones da cidade.

Adoniran Barbosa eternizou em suas músicas a São Paulo que viveu tão intensamente. Mas não foram apenas seus sambas, verdadeiras crônicas sobre a cidade e seus personagens, que ficaram no imaginário paulistano. O próprio Adoniran tornou-se parte da paisagem de São Paulo.

Nascido em 1910, em Valinhos-SP, o artista se mudou ainda muito jovem para Jundiaí e depois Santo André, até se estabelecer na capital paulista. A vida na metrópole influenciou diretamente sua obra, principalmente pelo cotidiano ligado ao rápido desenvolvimento da cidade e pelo modo de falar de vários imigrantes recém-chegados em São Paulo, principalmente italianos.

João Rubinato, conhecido popularmente como Adoniran Barbosa, trabalhou como pintor, encanador, varredor e muitas outras funções antes de se tornar radioator e compositor. Além de sua atuação no rádio, a carreira musical influenciou profundamente o samba paulista, com canções como “Trem das onze”, “Saudosa Maloca” e “Tiro ao Álvaro”, o que faz dele até hoje conhecido por várias gerações.

A exposição estará disponível até o dia 31 e faz parte da Linha da Cultura. Para acompanhar a programação completa, acesse o site: http://www.metro.sp.gov.br/cultura/linha-cultura/programacao.aspx.ADONIRAN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *