Nova funcionalidade do Pix já pode ser utilizada pelos usuários

Desde a última quinta-feira (1), os usuários do Pix podem integrar as listas de contato de seus celulares à ferramenta.
A nova funcionalidade, que prevê a verificação de chaves registradas, se aplica ao número do celular, além do endereço de email do cliente.
O objetivo da novidade é facilitar a identificação de pessoas que tenham a chave Pix.
“Esta funcionalidade possibilita que as instituições verifiquem se um telefone ou email que está na agenda do celular do cliente são chaves Pix, com a intenção de facilitar e tornar mais segura a escolha do recebedor do Pix pelo pagador”, diz Ivo Mósca, coordenador da Subcomissão de Pagamentos Instantâneos e porta voz do grupo de Segurança da Febraban (Federação Brasileira de Bancos).
Qualquer pessoa ou empresa que possua uma conta transacional em um prestador de serviço de pagamento integrante do Pix pode usar o serviço.
A nova funcionalidade também objetiva minimizar possíveis erros envolvendo dados para transferências. “Essa novidade evita erros de digitação e dá agilidade ao pagamento, já que é possível verificar se uma determinada chave Pix já está registrada”, declarou Breno Lobo, chefe da subunidade responsável pela gestão do Pix no Banco Central.
No sistema, o aplicativo da instituição que o usuário estiver conectado coletará as informações de telefone ou email de sua lista de contatos, e enviará essa lista para o Banco Central.
O retorno da consulta revelará quais dos dados enviados são ou não uma chave Pix. Após isso, a transação segue o mesmo padrão adotado desde o início da operação do Pix, que no final de 2020.
A ferramenta só estará disponível para o prestador de serviço de pagamento (como bancos e demais instituições financeiras) que aderir à funcionalidade, e o cliente precisará fazer uma atualização no próprio aplicativo do banco para ter acesso.
Depois disso, a instituição financeira pode ou não criar um um atalho que facilita o acesso à ferramenta no celular.
A funcionalidade é opcional e os usuários podem solicitar a exclusão de sua chave Pix a qualquer momento. A interligação com a agenda irá ocorrer quando o cliente cadastrar a chave, e concordar com o termo de consentimento.
Se o usuário não quiser que esse dado seja compartilhado, é melhor escolher outra chave, como, por exemplo, a aleatória (uma sequência de números geradas pelo sistema).
“A integração da agenda de contatos do celular do cliente ao Pix não é uma funcionalidade obrigatória do sistema de pagamento instantâneo. Sua oferta ao usuário é recomendada pelo Banco Central para proporcionar uma melhor experiência para os clientes, mas será uma decisão individual de cada instituição participante”, salienta Ivo Mósca.
A novidade também permitirá maior segurança ao usuário. “A lista de contatos é composta de pessoas conhecidas, então a opção se torna mais segura porque você reduz as chances de engano no pagamento”, diz Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, o laboratório de cibersegurança da PSafe.
Ainda assim, o especialista da PSafe pede atenção aos clientes que adotarem a ferramenta.
“É possível que golpistas achem alguma forma de serem cadastrados na sua lista de contatos para explicar uma possível vulnerabilidade. Por isso, sempre indicamos que a pessoa confirme todos os dados de quem receberá o dinheiro, para evitar problemas”, completou Emilio Simoni.
É importante lembrar que, apenas o celular e o email entrarão nessa funcionalidade, as outras chaves e dados não serão mostrados.
“Nenhuma outra informação, como por exemplo, os dados de conta atrelados a essa chave, serão expostas nesta consulta. Haverá somente o retorno de quais números de celular ou email são chaves Pix”, concluiu Ivo Mósca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *