Justiça determina que concessionárias que administram linhas 4 (amarela) e 5 (lilás) do Metrô mantenham até 85% a circulação dos trens durante a greve marcada para amanhã (20)

O  desembargador Valdir Florindo, do Tribunal Regional do Trabalho da 2° Região, decidiu que  os funcionários das concessionarias ViaQuatro (Linha 4-Amarela) e ViaMobilidade (Linha 5-Lilás) deverão manter 85% da frota de trens nos horários de pico e 70% nas demais horas no dia 20 de abril, data em que os metroviários da capital paulista marcaram uma greve sanitária.
A ação atende parcialmente o pedido das concessionárias que pertencem ao Grupo CCR.
O desembargador entendeu que o protesto se enquadra na Lei de Greve, garantido à categoria, porém, por se tratar de um serviço essencial, o magistrado concedeu uma tutela parcial do pedido realizado pelas operadoras privadas do sistema.
As concessionárias ViaQuatro e ViaMobilidade solicitaram que o Sindicato dos Metroviários recebesse multa diária, de R$ 1 milhão em caso de descumprimento. No entanto, a decisão do desembargador determinou multa diária de R$ 200 mil.
Segundo o Sindicato dos Metroviários, a greve sanitária marcada para a próxima terça-feira, 20 de abril de 2021, terá adesão dos funcionários do Metrô de São Paulo (Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata), dos empregados das linhas 4-Amarela (ViaQuatro) e 5-Lilás (ViaMobilidade), de motoristas e cobradores de ônibus da capital, e pelo menos três linhas da CPTM também deverão aderir ao movimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *