Greve dos professores da rede pública de SP começa com baixa adesão

Professores da rede estadual de São Paulo, decidiram fazer greve já no primeiro dia de retorno das aulas presenciais no estado. Porém, esse primeiro dia de greve dos professores teve baixa adesão da categoria nesta segunda-feira (8).
De acordo com informações da Apeoesp, cerca de 15% dos profissionais aderiram ao movimento e cruzaram os braços. Já o secretário da Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, disse que a adesão foi quase zero.
Os professores protestam contra a reabertura das escolas da rede estadual em São Paulo, que ocorreu nesta segunda-feira com um sistema de rodízio de até 35% dos alunos.
Os educadores defendem que o retorno presencial as aulas, ocorra apenas após a vacinação de todos, para evitar risco de contágio à professores, alunos e demais profissionais da educação.
O governo estadual afirma que as escolas foram equipadas para que os protocolos de segurança sejam cumpridos e que o período estendido de aulas remotas tem resultado em déficit de aprendizagem e até problemas psicológicos e de saúde mental para os alunos, em sua maioria, crianças e adolescentes.
O Governo Estadual anunciou que o ponto dos profissionais que aderiram à greve será cortado.
Por meio de nota, a Apeoesp disse que o primeiro dia do movimento teve um “caráter organizativo” e que as adesões devem crescer nos próximos dias.
A Apeoesp divulgou ainda um levantamento sobre a adesão dos alunos ao retorno das aulas presenciais.
A entidade informou, que só 5% dos alunos  compareceram às escolas. Já o governo do estado não divulgou o índice.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *