Governo de SP decreta toque de recolher em todo estado até 14 de março

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (24), em entrevista coletiva,  que irá restringir a circulação das 23h às 5h em todo o estado.
A medida acontece por conta do estado ter  atingido o maior número de pacientes internados em UTIs com Covid-19 em toda a pandemia, mais de 6.400 até a última segunda-feira (22). O decreto vale do dia 26 de fevereiro ao dia 14 de março.
O decreto determina além da restrição de circulação no período noturno, tamhem a proibição de aglomeração em qualquer horário. E alerta que serão aplicadas multas por descumprimento das medidas.
O governador João Doria (PSDB) justificou a não adoção de medidas mais restritivas durante o dia, porque as pessoas tendem a beber menos e a não se aglomerar nesse horário, já que neste período diurno as pessoas estão dedicadas ao trabalho.
Até esta segunda-feira (22), havia 6.410 pacientes internados em leitos intensivos.
O maior número registrado até então, foi de 6.250, em julho de 2020.
 “É um recorde histórico desde fevereiro do ano passado, quando tivemos o primeiro caso de covid no Brasil e no estado de São Paulo”, disse Doria.
Segundo o coordenador do Centro e Contigência do Covid-19, Paulo Menzes, o aumento no número de internações se deu por conta das aglomerações ocorridas durante o período do carnaval, e também pela circulação da variante de Manaus do novo coronavírus em São Paulo.
“Isso é consequência, provavelmente, da aglomerações que ocorrerão há 10 dias, mas pode haver mais fatores”, afirmou Paulo Menezes.
O poder público estadual anunciou a criação de uma força tarefa de fiscalização formada pelas vigilâncias sanitárias municipal e do estado, pela Polícia Militar e pelo Procon, para se fazer cumprir as determinações.
Dentre as medidas anunciadas pela PM para coibir as violações, serão realizadas blitz, informes com uso de viaturas da polícia e incremento do policiamento com apoio da Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DEOP) da Polícia Civil.
O governador João Doria afirmou ainda que a prioridade da força-tarefa será a de coibir a realização de festas clandestinas.
“Quem infringir o decreto comete uma infração pluriofensiva, pois infringe o Código Penal, o Código do Consumidor, normas da Prefeitura e normas sanitárias”, afirmou Fernando Capez, diretor executivo do Procon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *