Esquadrão Suicida | Críticas de Cinema – Efrem Pedroza

Nota: 2,0

      Para missões que requerem métodos não muito aceitáveis e agentes dispensáveis, nos quadrinhos, Amanda Waller (Viola Davis) recruta um time de vilões e mercenários que na base do “ou você faz ou sofrerá consequências sérias” são reunidos para enfrentar algo grandioso. Tendo uma formação bem diversificada nas HQs, no longa se aproveitam disso para inserir personagens que nunca pertenceram ao grupo de criminosos. O Coringa (Jared Leto) é prova disso.

       “Esquadrão Suicida” apresenta boas piadas e ação, mas fica um sabor de incoerência com relação ao arco narrativo que é um pouco confuso.

      Em suma, “Esquadrão Suicida” tem personagens que podem mais, porém o caráter subversivo ainda carece de um trabalho mais independente e sem “amarras” com relação a filmes de outros estúdios. Inspirar-se no que já foi feito para o cinema deste gênero nunca será errado. Pelo contrário, se faz necessário. O problema é fazer isso sem explorar o verdadeiro potencial de seus personagens (que funcionam bem em equipe), mas que pareciam melhores e mais empolgantes em suas propagandas.


Confiram a crítica completa no blog: efrempedroza.blogspot.com.br

Facebook: Efrem Pedroza – Crítico de Cinema

O critério de notas é estabelecido da seguinte forma:

0,0 = péssimo

1,0 = ruim

2,0 = regular

3,0 = bom

4,0 = ótimo

5,0 = excelente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *