Cidade paulista adota polêmica medida de utilização de pulseiras para identificar casos de Covid-19

Uma cidade do interior paulista adotou uma medida no mínimo polêmica para tentar controlar a disseminação da Covid-19.
Através de um decreto, a Prefeitura de Tabapuã (SP) determinou o uso de pulseiras de identificação por pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19. O decreto foi publicado em 23 de março e passou a valer na última terça-feira (6).
De acordo com a publicação, o cidadão com suspeita da doença que procurar por atendimento receberá uma pulseira amarela, que indica a necessidade de isolamento até receber o resultado do exame.
Caso o resultado seja positivo para o coronavírus, o paciente deve continuar o isolamento e então troca a pulseira por uma de cor vermelha, que pode ser retirada apenas por um médico do município.
Ainda segundo o decreto, caso o paciente retire a pulseira ou seja flagrado violando o isolamento, ele será multado em R$ 300.
 Porém, Tabapuã, não foi a primeira cidade a adotar a polêmica medida.
Porém Tabapuã não foi a primeira cidade a adotar a polêmica medida. No início de março, Nova Granada, também no interior de São Paulo, foi o primeiro município da região que aderiu à medida.
Na época, a prefeita Tania Liana Toledo Yugar afirmou que a medida foi decretada depois que o município recebeu denúncias de pessoas com suspeita ou confirmação da doença que estariam descumprindo o isolamento domiciliar.
A medida causou bastante polêmica nas redes sociais, com muitas manifestações a favor e também contra.
Internautas favoráveis à medida chegaram a solicitar a adoção da mesma em diversas outras cidades do estado de São Paulo, inclusive na capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *