Caminhoneiros protestam na capital contra aumento do ICMS

Na manhã da última quarta-feira (27), motoristas de caminhões fizeram uma carreata com buzinaço em protesto contra o aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na cidade de São Paulo. Além dos caminhoneiros, distribuidores de mercadorias do estado também participam do protesto.
Por meio de nota, o governo estadual afirmou que a manifestação tem caráter político e foi convocada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.
Os caminhões se reuniram em frente ao Estádio Municipal do Pacaembu, e saíram em direção a quatro locais: a sede do governo estadual, no Morumbi, na Zona Sul; o Ministério da Fazenda; e as marginais Pinheiros e Tietê.
Porém não puderam chegar até a sede do governo estadual, sendo impedidos por barreiras feitas nas proximidades do Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona sul da capital.
No ano passado, a gestão do governador João Doria (PSDB) aprovou um pacote de ajuste fiscal na Assembleia Legislativa prevendo redução de isenção para alguns produtos de isenção de ICMS. Isso com o objetivo de aumentar a arrecadação do governo, justificada, na ocasião, pelo poder estadual, pela queda por conta da pandemia.
Porém depois o governo voltou atrás e retirou esse fim de isenção para alguns setores, como, por exemplo, insumos médicos, energia elétrica e manteve ainda para outros, como carne, leite e feijão, fato que motivou os protestos.
Os motoristas querem que seja retirado o fim de isenção do ICMS. O aumento ocorreu com a criação da figura do complemento de imposto para as alíquotas de 7% e 12%. De acordo com o Decreto n° 65.253 de 2020 o governo paulista aumentou a alíquota de 7% para 9,4% e a alíquota de 12% para 13,3%.
Segundo os organizadores, cerca de 900 veículos participem da manifestação. A Polícia Militar (PM) e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) acompanham o ato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *