Ben-Hur 3D | Críticas de Cinema – Efrem Pedroza

Nota: 2,0

      Neste remake do épico de 1959, Judah Ben-Hur é acusado injustamente de traição por seu irmão mais novo e perde não somente o trono, mas seu grande amor, família e honra, ao virar escravo. Muitos anos se passam e ao retornar para seu “lar”, Ben-Hur quer vingança.

      Jack Huston (Ben-Hur), não convence e aproveitando o tema, que envolve um grande herói, tenho a nítida sensação de que Charlton Heston, se estivesse vivo, provavelmente olharia para o novo “Ben-Hur”, “mediria, pesaria, avaliaria e o consideraria insuficiente para tal papel”. “Ben-Hur” de especial só tem o 3D para tornar mais envolvente a batalha entre gladiadores e suas bigas. Nem mesmo a tecnologia que leva o espectador à imersão, consegue ser suficiente para que haja envolvimento… Em outras palavras, se você assistir em 2D, economizará seu rico dinheirinho.  Bom, “Gladiador” de Ridley Scott tá aí para provar que um grande épico não precisa disso para cativar seu público.

      Jack Huston não é Charlton Heston e a obra-prima da década de 50 continua insuperável. Não estou bancando o conservador que é contra remakes. Só acho que determinadas obras são  realmente irretocáveis. Ou você ousaria recriar a Mona Lisa de Leonardo Da Vinci?


Confiram a crítica completa no blog: efrempedroza.blogspot.com.br

Facebook: Efrem Pedroza – Crítico de Cinema

O critério de notas é estabelecido da seguinte forma:

0,0 = péssimo

1,0 = ruim

2,0 = regular

3,0 = bom

4,0 = ótimo

5,0 = excelente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *