Achados e Perdidos do Metrô a seu dispor

Você ja esqueceu ou perdeu algum objeto em alguma estação ou trem do Metrô?
Provavelmente sim. E você sabe que pode conseguir encontrar o que você perdeu?
Sabe que existe um setor exclusivo que identifica, guarda todos os objetos encontrados nas estações do Metrô, que ficam disponíveis para que seus donos os retirem?
Esse setor é a Central de Achados e Perdidos do Metrô, serviço de atendimento ao público que existe há mais de 45 anos, e que em 2020 recolheu mais de 54 mil objetos.
Devido ao excelente trabalho realizado e a um sistema informatizado, que propicia aos funcionários consultar, de qualquer estação, os objetos cadastrados com identificação, 22,92% dos itens perdidos, ou seja, 12.544 objetos, foram devolvidos para os respectivos proprietários no ano passado.
O posto de Achados e Perdidos do Metrô está localizado na estação Sé, que interliga as linhas 1-Azul e 3-Vermelha.
O Jornal do Monotrilho foi conferir o excelente trabalho do setor e conhecer a rotina do Achados e Perdidos do Metrô.
Fomos muito bem recebidos pela Supervisora Operacional Rísia Moura Oliveira Benevides, que foi nossa anfitriã e guia nesta prazerosa e muito informativa visita.
A reportagem do Jornal do Monotrilho conheceu ainda, a Operadora de Transporte Metroviário, Mara Shirley Cuebas que estava atendendo ao público naquele momento e nos mostrou a rotina operacional  do setor, desde a chegada dos objetos na central, passando pela conferência e cadastramento, até o armazenamento à espera de seus proprietários.
Diversos objetos são recolhidos nas estações e dentre os que mais são deixados pelos passageiros estão os cartões de plástico (bancários e de bilhete único), os documentos (RG, CNH) e pertences pessoais como carteiras, celulares, óculos, chaves, roupas, material escolar e guarda chuvas.
 O passageiro que quiser reaver algum objeto esquecido deve seguir algumas regras e poderá consultar o serviço de “Achados e Perdidos” pelo site (www.metro.sp.gov.br), pelo telefone 0800-770 7722 (ligação gratuita), da Central de Informações do Metrô, todos os dias, das 8h00 às 20h00, quando os objetos estiverem identificados pelo nome. Outra alternativa para consultar objetos identificados é solicitar a busca a um funcionário nas estações do Metrô ou, se o passageiro preferir, procurar diretamente o guichê de atendimento da Central de Achados e Perdidos, na estação Sé, que durante o período da pandemia do coronavírus funciona de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 20h.
Para objetos a serem resgatados que não possuem identificação pelo nome, o atendimento necessariamente terá que ocorrer na Central de Achados e Perdidos, na estação Sé. Nesses casos, a identificação destes objetos é feita por meio das características fornecidas pelo passageiro, bem como o local, dia e hora aproximada em que ocorreu a perda.
A Supervisora Risia destacou que o passageiro não deve desistir de reaver seus objetos perdidos e também pontua a satisfação dos funcionários em conseguir efetuar a devolução; “que as pessoas não desistam de encontrar seus objetos perdidos. Que procurem o setor de achados e perdidos do metrô, porque os funcionários tem muita satisfação em conseguir encontrar os passageiros  do metrô que perderam objetos e fazer a devolução”, declarou Rísia.
O Metrô informa por fim que os objetos recolhidos nas estações das linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata, operadas pelo Metrô, e os da Linha 4-Amarela, operada pela ViaQuatro, são encaminhados para a Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias. Após esse período, os objetos em bom estado e valores em dinheiro não devolvidos são encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Já os documentos são destinados aos respectivos órgãos emissores.
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *