6 PASSOS PARA QUEM COMEÇOU O ANO ENDIVIDADO

“O brasileiro não tem disciplina. Não adianta começar algo e não cumprir, como a famosa desculpa do regime toda segunda-feira em véspera de verão” afirma Fernando Marcondes, Planejador Patrimonial do Grupo GGR.

No final de 2017 os trabalhadores brasileiros receberam as duas parcelas do 13°, e com elas veio também a dúvida do que fazer com o dinheiro extra. Alguns investiram, outros pagaram dívidas, mas grande parte não sabia exatamente o que fazer, e por isso gastou mais do que deveria. Por isso, o dinheiro que poderia ser um alívio acaba se tornando mais uma dor de cabeça, devido à falta de planejamento. Começar o ano com dívidas acumuladas é um grande problema para quem quer começar a investir em 2018. Fernando Marcondes, Planejador Patrimonial da GGR listou cinco dicas para quem gastou todo o 13°, começou janeiro endividado e quer uma perspectiva de investimento em 2018:

1.        Planejar sempre pensando no longo prazo

O investidor nunca deverá planejar pensando no curto prazo. Economizar e investir são procedimentos vitalícios. É importante começar traçando metas de gastos e receitas, e com isso deixar o saldo negativo em positivo já no início do ano. É vital estabelecer uma meta sempre em quanto se deseja guardar.

2.        Acompanhar as metas

Acompanhar mensalmente as metas traçadas para os próximos três a cinco anos, pois não adianta traçar metas para um longo prazo se estas não forem acompanhadas mês a mês. Este hábito ajuda a cumprir e a perceber o avanço das economias e investimentos. Nunca defina metas impossíveis ou muito difíceis de atingir.

3.        Nunca antecipe um desejo

Nunca antecipe um desejo, tenha sempre em mente que, se tiver que financiar para comprar alguma coisa, não compre, é muito mais seguro e eficaz poupar dinheiro para comprar. A regra é: Se você precisa parcelar é porque você não pode comprar o que deseja naquele momento. É bem simples.

4.        Não funciona guardar dinheiro e ainda ter dívidas

Não adianta guardar dinheiro e ainda ter dívidas. Os juros de uma dívida sempre serão maiores do que a rentabilidade de um investimento. É importante quitar todas as dívidas  e não contrair mais nenhuma, antes de começar a poupar, inclusive o financiamento imobiliário, é tudo uma questão de disciplina.

5.        Disciplina sempre

O brasileiro não tem o hábito disciplinar, não adianta começar algo e não cumprir, como a famosa desculpa do regime toda segunda-feira em véspera de verão. Para a estratégia de economizar e investir funcionar é imprescindível ser disciplinado todos os dias. Isso vai desde o lanche extra que se gasta todos os dias e impacta no final do mês a até mesmo se vale a pena comprar um carro 0km ou usado. As metas são feitas para se perseguir e ultrapassar.

6.   Fazer as contas sempre por ano, sempre projetando para o longo prazo.

Talvez um café com pão de queijo no final da tarde todos os dias que custe R$ 17,00 não seja um grande problema. Mas se colocarmos na ponta do lápis que este luxo custará anualmente R$ 6.205, talvez fique pesado. Isso vale para a conta de celular, luz, plano de saúde. Enfim. É preciso fazer todas as contas anualmente, sempre.

Sobre o Grupo GGR

O grupo GGR é formado por três empresas: a GGR Gestão de Recursos, a GGR Planejamento Patrimonial e a GGR Estruturação.

           GGR Investimentos

Com mais de 6 anos de história, a GGR Investimentos atualmente é uma das mais conceituadas gestoras e estruturadoras de fundos e demais produtos financeiros. Atualmente, possui um total de 10 fundos, totalizando mais de R$ 480 milhões sob sua gestão. Durante sua história, a GGR Investimentos já estruturou mais de R$ 1 bilhão de operações em crédito com lastro imobiliário. Com expertise de mais de 20 anos, MBA em finanças pelo INSPER e passagens por grandes instituições financeiras nacionais e internacionais, o sócio gestor Telêmaco Genovesi Junior participa ativamente na estruturação de todas as operações.

GGR Planejamento Patrimonial

Inspirado nos modelos dos grandes multi-family offices e na filosofia de alocação de investimentos dos gestores de endowments americanos, foi criado o modelo BPC de planejamento patrimonial. Diferente de tudo o que existe atualmente disponível para o investidor brasileiro, o modelo engloba um minucioso estudo da situação patrimonial imobilizada, financeira, econômica e fiscal do núcleo familiar, inflação pessoal, exposição ao risco e outras variáveis, que resulta em uma estratégia adequada para criar uma estrutura protetora dos ativos e manter o poder de compra durante décadas. Com mais de 29 anos trabalhando em alocação de recursos, o sócio Fernando Marcondes participa pessoalmente de todos os estudos, seguindo seu “modelo BPC – (Blindagem de Poder de Compra)”. Nos últimos 13 anos, a GGR Planejamento Patrimonial auxiliou mais de 300 clientes, totalizando o volume financeiro de R$ 1,5 bilhão. O foco está em construir de forma sólida e proteger o poder de compra real do patrimônio e a previdência do cliente.

GGR Estruturação

Diante da necessidade e falta de parceiros capacitados para estruturar operações de crédito, FIPs, Fundos Imobiliários e, principalmente, monitorar de perto as operações após as liquidações, seguindo as exigências da GGR Investimentos, foi criada a GGR Estruturação para atender tal demanda. Com mais de R$ 1 bilhão em operações estruturadas, já é uma das estruturadoras mais conceituadas do mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *