Associação de bares e restaurantes teme “quebradeira” e demissões em massa com novo fechamento

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) fez críticas à decisão do governo de São Paulo em colocar todos os municípios do estado na fase vermelha da quarentena, a mais restritivas do Plano São Paulo. A entidade critica o ambiente de incertezas que se criou.
“A cada dois dias, enfrenta-se uma mudança de posicionamento. É impossível que negócios se mantenham de pé em um cenário desses, no qual falta planejamento e transparência”, disse a associação, por meio de nota.
“É cruel deixar que bares e restaurantes amarguem sozinhos os prejuízos de mais um fechamento. O que temos pedido incansavelmente ao governador Doria é respeito e justiça”, afirmou Paulo Solmucci, presidente da Abrasel.
Paulo salienta que o aumento no ICMS do setor e dos impostos sobre insumos essenciais vão contra medidas que estão sendo feitas ao redor do mundo. “Precisamos de ajuda, real e rápida, em São Paulo. Há condições plenas para que isso aconteça. O que parece faltar é vontade, ” completou o presidente da Abrasel.
Na fase vermelha o “setor de restaurantes pode operar com sistema de delivery, drive-thru e retirada”, afirmou o governo paulista.
A gestão de Doria ressalta que, “até o momento, já desembolsou quase R$ 2 bilhões de crédito pela Desenvolve SP, Banco do Povo e Sebrae para auxiliar empreendedores a atravessarem a crise. Além disso, neste ano, liberou mais R$ 125 milhões de crédito via Banco do Povo e Desenvolve SP para empreendedores”.
O poder público estadual explica ainda que,  “o Plano SP é respaldado por critérios técnicos, análises e pareceres do Centro de Contingência para permitir, de forma consciente e gradual, a retomada das atividades econômicas dos setores”.
Os donos de bares, restaurantes e estabelecimentos do setor temem por um efeito cascata em decorrência de mais um período de paralisação das atividades. Efeito que terá como consequência; demissões em massa e falência dos negócios.
A regressão do estado de São Paulo à fase vermelha da quarentena vai até dia 19 de março e poderá ser prorrogada , de acordo com os índices de contágio da Covid-19 e da taxa de ocupação dos leitos de UTI para tratamento da doença no estado de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *